for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Fact Check-Vídeo de suposta pesquisa eleitoral por telefone não mostra entrevista do Datafolha

10 Ago (Reuters) - (Texto atualizado com mais detalhes sobre pesquisas por telefone)

Um vídeo de uma suposta pesquisa eleitoral por telefone na qual a opção de voto no presidente Jair Bolsonaro (PL) consta como “inválida” não mostra um levantamento do Datafolha, como afirmam postagens nas redes sociais. O instituto faz apenas entrevistas presenciais e confirmou não ser o responsável pela sondagem que aparece no conteúdo.

As imagens exibem a tela de um celular e uma gravação com a pergunta: “E se houver um segundo turno entre Bolsonaro e Lula, hoje, em quem você votaria? Bolsonaro, 1; Lula, 2; branco ou nulo, 3; não sabe responder, 4”. Um homem, então, digita a tecla 1, em duas tentativas, e ouve a mensagem “opção inválida”.

No Facebook e no Twitter (here), usuários associaram o vídeo a uma suposta pesquisa do Datafolha. “O Datafolha fazendo pesquisas de intenção de voto para presidente nas eleições de 2022 kkk Pilantras !”, escreveu um deles (here). “Pesquisa DataFolha pelo celular”, disse outro (here).

O instituto, entretanto, não realiza pesquisas eleitorais pelo telefone. O Datafolha faz apenas entrevistas presenciais, abordando eleitores pessoalmente nas ruas, como pode ser conferido em sua página de perguntas e respostas (here).

A diretora do instituto, Luciana Chong, também confirmou à Reuters que “o Datafolha não realiza pesquisa de intenção de voto por telefone” e que suas “pesquisas eleitorais são todas presenciais”. Além disso, a pergunta sobre a preferência do eleitor em um eventual segundo turno entre Bolsonaro e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) que consta no vídeo não corresponde à questão a respeito do tema aplicada pela empresa, segundo o questionário registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) (ibb.co/VtPByJF).

A Reuters não conseguiu identificar de qual instituto seria o suposto levantamento mostrado nas postagens, mas reuniu indícios de que o conteúdo pode ter sido manipulado.

A reportagem consultou todos os questionários de pesquisas eleitorais para a Presidência registradas no TSE no mês de julho (here). Em ano eleitoral, os levantamentos de intenção de voto divulgados publicamente precisam obrigatoriamente ser cadastrados no sistema da corte (here).

Os questionários permitem ver não só as perguntas feitas aos entrevistados, mas se elas são feitas de forma automatizada, por meio de URAs (sigla para unidade de resposta audível, um sistema no qual os participantes recebem um telefonema com uma gravação e respondem às perguntas digitando o número da opção desejada no teclado), ou por pesquisadores de carne e osso.

O Ipespe, por exemplo, faz pesquisas por telefone, mas não utiliza URAs, e sim equipes de pesquisadores. O questionário do instituto inclui instruções para como o pesquisador deve se apresentar e se dirigir ao entrevistado (ibb.co/XDTdGNV).

As únicas empresas que aplicaram entrevistas telefônicas com URA no país em julho foram PoderData (here) e Goiás Pesquisas (beacons.page/goiaspesquisas). Ambos negaram que o vídeo seja de uma pesquisa de sua responsabilidade, uma vez que a voz da gravação não é a mesma das suas entrevistas. O enunciado do suposto levantamento também é diferente dos questionários do PoderData e do Goiás Pesquisas apresentados ao TSE, que são aplicados de forma exatamente igual ao que foi registrado na corte.

Na entrevista do PoderData, por exemplo, a gravação pergunta: “E se houvesse um 2º turno entre Lula e Jair Bolsonaro, em quem você votaria? Lula, tecle 1; Jair Bolsonaro, tecle 2; Se votaria em branco ou nulo, tecle 3; Se não sabe, tecle 4” (ibb.co/LYmbdtL). Já no levantamento do Goiás Pesquisas, o sistema questiona: “Em quem você votaria para presidente da República se as eleições fossem para o segundo turno?”, e as opções de digitação correspondem ao número do partido do candidato, como aparecem nas urnas — “22 Jair Bolsonaro; 13 Lula da Silva; 0 branco/nulo; 9 não sabe” (ibb.co/W6YPnPT).

Ao consultar os questionários de pesquisas eleitorais para a Presidência registradas no TSE em julho, a Reuters constatou que em nenhum deles consta a pergunta exibida no vídeo.

A dois meses do primeiro turno das eleições deste ano, as pesquisas mostram que Lula lidera a disputa pela Presidência. De acordo com o último Datafolha, de 28 de julho, o ex-presidente tem 47% das intenções de voto, e Bolsonaro aparece com 29% (here).

VEREDICTO

Falso. É falso que um vídeo de uma suposta pesquisa eleitoral por telefone que não registra a opção de voto no presidente Jair Bolsonaro (PL) mostre um questionário aplicado pelo Datafolha, como alegam publicações nas redes sociais. O instituto não realiza entrevistas pelo telefone, apenas presenciais, e confirmou que não é o responsável pelo levantamento que aparece nas imagens.

Este artigo foi produzido pela equipe da Reuters Fact Check. Leia mais sobre nosso trabalho de checagens de afirmações nas redes sociais aqui (here).

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up